RSS

O que é o Amor?


Realmente essa é uma pergunta básica que todos já fizeram. O incrível está no fato de que ninguém consegue responder com clareza esse questionamento tão singular, pois tentam analisar como um objeto qualquer, querendo definir a sua magnitude em simples palavras ou atos. O amor, como diz o grande Arlindo Cruz, não é um elemento simples, por isso não será fácil simplesmente falar “O amor é isso, por que...”, é necessária muita reflexão antes de falarmos sobre ele, ou melhor, não falemos sobre, apenas pensemos.

Quando saiu do grupo Fundo de Quintal para seguir carreira solo, Arlindo Cruz dedicou grande parte de seu imenso repertório falando sobre o amor. E, quando não compõe letras sobre, cantava de figuras ilustres como Almir Guineto, Sombrinha (com quem compôs grande parte de seus sambas), Jorge Aragão e muitos outros. E, sem dúvida, singulariza a música ao tocá-la de seu jeito.

Após passar por alguns maus momentos na semana passada, foi em duas composições do Arlindo Cruz que busquei refúgio. É engraçado, pois quando passamos por situações desagradáveis a gente sempre acha uma música para chamarmos de “nossa”. Dessa vez não foi diferente, a única coisa diferente foi que me apeguei à duas ao invés de uma. A primeira é “O que é o amor?” música linda que tomei como título dessa postagem, aonde põe a dualidade desse sentimento que ao mesmo tempo em que o deixa feliz um dia, no outro o deixa com a cara na lama.

Assista a música “O que é o amor?

A segunda música que considero como “minha” – e a que eu mais gostei realmente, que mais me apeguei -, é a música “Ainda é tempo pra viver feliz”, que foi composta junto com o Sombrinha e tornou parte do repertório das mais variadas rodas de samba de todo o Brasil, sendo cantada por Beth Carvalho junto com seu afilhado Zeca Pagodinho; Arlindo e o jovem Gustavo Lins, além de cantada também por centenas de pequenos grupos que vão surgindo e que apreciam um bom samba.

Basicamente a música fala de um rapaz que está afastado da mulher pela qual é apaixonado e não quer mais deixar tudo do jeito que está, pois ele está triste com a distância entre os dois e com o término do relacionamento. Ele quer voltar a sorrir e vai fazer de tudo para tê-la por perto novamente. O refrão, tanto quando o nome da linda canção, é um pedido de ajuda para ela o ajudar a buscar a felicidade, pois ainda é tempo para viver feliz.


Essa música já é minha, você já tem uma pra chamar de sua?

Eu, de coração, torço muito pela evolução do samba/pagode pegando como referência os grandes ídolos como Arlindo Cruz, Fundo de Quintal, Cartola, entre outros. Para dar continuidade na disseminação de suas composições com aquelas sempre lindas frases que prepara a gente para o métrico refrão que explana, que difunde, que inspira, que transborda esse sentimento soberano que nos guia, o amor.

André N. Bueno



5 comentários:

Fiore disse...

Cara,

bato palmas pro seu post Déco! ;D
Arlindo Cruz é mestre,
é bamba!

Amo muitas das composições (e interpretações)
dele!

E tenho vááárias músicas dele pra chamar de minha!
É um sambista, que fala bonito sobre amor.
A gente consegue sentir, enquanto ele canta!
Emociona!

Tá de parabéns lesket! ;D

;***************
adorooO!

darsh. disse...

podia ter colocado aquele seu vídeo hem :)

Bruno Salim disse...

que puxa saco

vai ficar na fotografia disse...

Peraê!

Foi André mesmo que escreveu esse post?

[/chocada]

ahauhauahauahauahu

Uma graça esse menino, me surpreendeu...

Atóron uma sambinha, pagodim...

;D Pri

vai ficar na fotografia disse...

gente! andré romântico, meu deus! hahaha
estou chocada também!

beijos meninos

adriana

Postar um comentário